Pular para o conteúdo principal

Estudo do Inconsciente

 Inconsciente: Perspectivas Filosóficas e Psicanalíticas O estudo do inconsciente tem sido uma das áreas mais fascinantes e complexas da filosofia e da psicologia. Desde os tempos antigos, filósofos têm contemplado a natureza oculta da mente humana, enquanto a psicanálise, especialmente através dos trabalhos de Sigmund Freud e outros psicanalistas contemporâneos, tem lançado luz sobre as camadas profundas da psique humana.  Este breve texto visa explorar essas perspectivas, desde os fundamentos filosóficos até as contribuições contemporâneas da psicanálise, incluindo importantes figuras brasileiras nesse campo. Filosofia e o Inconsciente A investigação filosófica sobre o inconsciente remonta aos tempos antigos, com Platão sugerindo a existência de uma alma dividida em camadas, algumas das quais permanecem inacessíveis à consciência. Aristóteles, por sua vez, discutiu o papel dos sonhos como reveladores de desejos e preocupações ocultas.  No entanto, foi com a ascensão da psicanálise qu

Correspondências de S. Freud para Fliess [1887 a 1904]

É provável que as cartas de Sigmund Freud a seu amigo mais íntimo, Wilhelm Fliess, constituam, isoladamente, o mais importante conjunto de documentos da história da psicanálise

Sem que jamais houvesse intenção de publicá-las, as cartas vão de 1887 a 1904, período que abarca o nascimento e desenvolvimento da psicanálise. 

Durante os dezessete anos da correspondência, Freud escreveu algumas de suas obras mais revolucionárias: Estudos sobre a histeria, A Interpretação dos sonhos, "A etiologia da histeria" e o famoso caso clínico Dora. Aqui apresentados, sem nenhum corte, acham-se 133 documentos nunca trazidos a público anteriormente...

Consulte PDF para estudos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O homem dos lobos (Freud)

O homem dos lobos foi um caso atípico na clínica psicanalítica de Freud. Em 1910 teve início as sessões, interrompida pela guerra, em 1914. Desse modo, é considerado um caso longo para os parâmetros do Freud. Vale lembrar que na época, o psicanalista recebia o paciente 5x por semana em seu consultório na cidade de Viena, Áustria , mas a análise pessoal não durava por muitos anos, como nesse caso específico do "homem dos lobos". Após a guerra, o paciente retomou a análise com o psicanalista, em um segundo momento, estabelecendo consigo um prazo de encerramento das sessões psicanalíticas. Aliás, uma técnica ativa, que como o próprio disse, o ajudou a avançar na análise com Freud. Em seguida, segue análise com outros psicanalistas. ë conhecido na história da psicanálise por ter tido muitos analistas. Muitas das coisas das quais eu fiquei sabendo, eu fiquendo sabendo apos estabelecer esse prazo Para quem estuda psicanálise, sabe que Freud participava de reuniões com outros médico

Filme "A Onda"

 Partindo do pressuposto de que ideologia é um instrumento de dominação, ou seja, a maneira pela qual a classe dominante de uma sociedade faz com que as ideias, próprias dela, apareçam como válidas para a sociedade inteira, sem fazer distinção de outros fatores sócio-culturais, o filme a Onda nos desperta para a questão de como um discurso pode inflamar e repercutir no comportamento de todo um grupo. A conjectura política atual do país passa por linha tênue, entre discursos nostálgicos dos tempos da ditadura por parte de governantes, atravessando toda a sociedade.  Nos faltam dados para apontar, mas notícias recentes demonstram um aumento no número de casos de violência e tortura contra a mulher, o negro, o homossexual e o pobre, parecem corroborar a tese da película cinematográfica.  Ao defender um discurso racista e preconceituoso, governantes "autorizam veladamente" os indivíduos que com eles se identificam a praticar os mesmos atos na rua, no dia a dia. Contudo, nosso

Recordar, repetir e elaborar (1914)

 " Recordar, repetir e elaborar (1914) " é um ensaio seminal de Sigmund Freud, o pai da psicanálise, no qual ele explora conceitos fundamentais para o entendimento do processo psicanalítico. Neste texto, Freud investiga a natureza da repetição de traumas e experiências passadas na mente do paciente durante o tratamento psicanalítico.  Freud sugere que os pacientes muitas vezes repetem padrões de comportamento e reações emocionais semelhantes aos eventos traumáticos do passado, como uma forma de tentar dominar ou compreender essas experiências dolorosas. O psicanalista S. Freud argumenta que, ao trazer à tona e recordar conscientemente essas experiências traumáticas, os pacientes têm a oportunidade de elaborar sobre elas, isto é, de compreendê-las de uma forma mais profunda e integrá-las em seu psiquismo. Esse processo de recordação, repetição e elaboração é central no trabalho psicanalítico, pois permite ao paciente confrontar e lidar com questões não resolvidas do passado, p

Fundamentos Psicanalíticos: Teoria, Técnica e Clínica

O propósito deste livro -- Fundamentos Psicanalíticos: Teoria, Técnica e Clínica - Uma Abordagem Didática, é o de sintetizar os princípios fundamentais do método psicanalítico – teoria, psicopatologia, técnica e prática clínica – com uma abordagem didática sem, no entanto, perder uma necessária simplicidade e acessibilidade.  Consultar versão PDF para estudo . Errata: Na página 456, o autor faz referência equivocadamente a uma poesia de Cyro Martins. O texto é de autoria de Clara Feldman, sob o título “Convite”, publicado originariamente em 1983 na obra Construindo a Relação de Ajuda.